Quais times e jogadores brasileiros podem receber vacina da Conmebol contra a Covid-19?

Entidade sul-americana recebeu a doação de doses da empresa chinesa Sinovac; atletas, árbitros e comissões técnicas podem receber o imunizante

A Conmebol anunciou oficialmente que a empresa chinesa Sinovac Biotech doará à entidade 50 mil doses de sua vacina contra Covid-19. O foco seria vacinar os profissionais envolvidos com a Copa América, principalmente, e as demais competição femininas e masculinas da América do Sul como Libertadores e Copa Sul-Americana.

Futebol ao vivo ou quando quiser? Clique aqui e teste o DAZN grátis por um mês!

De acordo com o comunicado da entidade, a empresa chinesa doará as doses como uma demonstração de apoio ao futebol sul-americano, em especial para a realização segura da Copa América. O torneio, previsto para os meses de junho e julho de 2021, deveria ter ocorrido em 2020, mas foi adiado em função da Covid-19. A competição traz uma dificuldade extra para a entidade no sentido de combate ao coronavírus pois será disputada em dois países: Argentina e Colômbia.

“É a melhor notícia que podia ser recebida para a família do futebol sul-americano, para a qual devemos nossos maiores esforços na Conmebol. É um passo adiante enorme para vencer a pandemia da Covid-19, mas não significa de nenhum modo que vamos baixar a guarda. Manteremos nosso trabalho responsável, o que nos permitiu concluir nossos torneios sem contratempos e sem alterar os formatos” disse Alejandro Dominguez, presidente da Conmebol.

“Agradeço este grande gesto de solidariedade e de apoio da empresa Sinovac que compreendeu que o futebol é uma atividade fundamental para a economia, a cultura e a saúde física e mental dos sul-americanos”, completou.

Apesar dos esforços para imunizar os atletas, a instrituição reforça que, mesmo com a vacinação, todos os protocolos de segurança e isolamento das comissões seguirão como uma prioridade.

"

Quais times e jogadores brasileiros podem receber vacina contra a Covid-19?

Miranda e Éder - São Paulo Paulistão 2021 Foto: Rubens Chiri/São Paulo Futebol Clube

Segundo a entidade, a imunização de profissionais do futebol será "focada nas equipes principais do futebol profissional sul-americano dos torneios da primeira categoria, masculinos e femininos". Assim, atletas e comissão técnicas da seleção brasileira na Copa América 2021 devem ser vacinados.

Entre os clubes, possivelmente as equipes que participam da Libertadores e Copa Sul-Americana devem receber a CoronaVac. São eles:

  • Conmebol Libertadores: Flamengo, Palmeiras, Internacional, Atlético-MG, São Paulo, Fluminense, Grêmio (preliminares) e Santos (preliminares);
  • Copa Sul-Americana: Corinthians, Ceará, Red Bull Bragantino, Athletico-PR, Atlético-GO e Bahia.

As competições de clubes da Conmebol começam as disputadas das respectivas fases de grupos já na próxima semana.

Qual a vacina a Conmebol receberá?

O imunizante doado à Conmebol é o mesmo produzido pelo Instituto Butantan, a chamada CoronaVac. Não siginifca, no entanto, que as doses que a entidade receberá serão feitas no centro de pesquisas localizado em São Paulo.

A CoronaVac reduz em 50,7% os novos registros de contaminação em uma população vacinada e 83,7% dos casos leves que exigem algum cuidado médico.

Como a Conmebol recebeu a doação da vacina contra a Covid-19?

Alejandro Dominguez e a Conmebol fizeram questão de agradecer a mediação do governo do Uruguai junto à empresa Sinovac Biotech. O presidente uruguaio, Luis Lacalle Pou, o Secretário da Presidência, Álvaro Delgado, o Ministro do Esporte, Sebastián Bauzá, e o embaixador do Uruguai ante a China, Fernando Lugris foram citados nominalmente pela nota. A Conmebol destaca que o governo uruguaio, desinteressadamente, ofereceu seu trabalho para apoiar o esporte.

Mais de um terço da população uruguaia (35,50) recebeu o iminuzante contra a Covid-19 até esta quinta (15 de abril), de acordo com o Our World in Data, da Universidade de Oxford. O Brasil aparece bem abaixo proporcionamente, com menos de um décimo do brasileiros (9,92%) vacinados contra o coronavírus.

Fechar