Notícias Jogos
Especiais e Opinião

Precisamos falar sobre Geyse

16:03 BRT 25/01/2023
Geyse Ferreira Brasil seleção Brazil
Em fase iluminada, a brasileira é, hoje, uma das principais atacantes do mundo

Considerando o presente momento do futebol feminino mundial (janeiro de 2023), nenhuma jogadora brasileira está performando melhor em seu clube do que Geyse Ferreira. A atacante, mesmo em sua temporada de estreia com a camisa do Barcelona, já se tornou peça-chave do time catalão, que é um dos principais do mundo.

Antes de se transferir para o Barça, Geyse atuou pelo Madrid CFF, onde se destacou especialmente na temporada 2021/22. Com o clube lutando na parte de baixo da tabela, a brasileira foi vital para sua manutenção na elite do Campeonato Espanhol. Decisiva, terminou como artilheira da liga (ao lado de Asisat Oshoala, do Barcelona) com 20 gols, número que representou 48% dos tentos anotados pelo Madrid.

Livre no mercado em julho de 2022, Geyse atraiu olhares dos grandes europeus. Clubes como Arsenal e o já citado Barcelona brigaram por sua contratação, com o segundo levando a melhor. Sua ida para Catalunha mostrou ambição e vontade de sair da zona de conforto, além de sinalizar sua mudança de patamar.

Muito instintiva, a atacante, ao longo de sua carreira, seja por clube ou seleção, acumulou vários momentos marcados por decisões com foco individual dentro das quatro linhas. Dessa forma, o jogo coletivo e a troca intensa de passes, pontos inegociáveis no DNA Culé, se desenhavam como grandes desafios – positivos – para adaptação de Geyse ao estilo de seu novo time.

Como consequência da perda de peças de ataque na janela de transferências (como Lieke Martens e Jenni Hermoso), bem como de atletas com problemas físicos no setor (por exemplo, Asisat Oshoala e Bruna Vilamala), a brasileira iniciou a temporada com minutos relevantes no time titular. Anotando gols decisivos, sua importância foi crescendo rapidamente em conjunto com a adaptação ao estilo de jogo. As tomadas de decisões, antes muito individualizadas, ganharam elementos mais coletivos e as movimentações – por exemplo abrir e/ou atacar espaço; servir como elemento de apoio para associações – foram se tornando mais naturais.

É válido destacar que ainda há muito teto para melhora tática, coletiva e de fundamentos. Entretanto, o impacto imediato de Geyse em um dos principais times do mundo, participando de enfrentamentos de alto nível, já chama atenção.

Versátil, a alagoana, natural de Maragogi, traz profundidade ao setor ofensivo do Barcelona. A equipe atua em um 4-3-3, com a linha de frente composta por uma centroavante e duas pontas (que podem atuar abertas e/ou por dentro a depender do plano de jogo). O treinador Jonatan Giráldez normalmente opta por Geyse na referência, mas já a utilizou em ambas as pontas. Em uma mesma partida, ela chegou a figurar nas três posições da frente (transitando de uma para outra com naturalidade).

Ao analisar suas valências, percebe-se o motivo do grande valor que a brasileira traz ao Barça. Bastante física, sabe usar bem seu corpo, seja para vencer duelos aéreos ou por baixo, ou para segurar e proteger a bola no ataque caso a equipe necessite (por exemplo, em situações onde o passe longo para referência passa a ser trunfo na saída de pressão). Além disso, Geyse é ótima dribladora (liderou a estatística de média de dribles bem-sucedidos no último Campeonato Espanhol – quatro dribles a cada 90 minutos, segundo a StatsBomb) e muito inteligente na leitura dos espaços na zaga adversária, sempre atenta para explorá-los por meio de sua velocidade e explosão, o que a torna perigosa em transições.

A sequência de frames abaixo ilustra Geyse como arma para segurar a bola no ataque, sendo alternativa para saída de pressão. Na “parte 2”, a atacante vence o duelo ao girar sobre a defensora. Prosseguindo, na “3”, perfila seu corpo pronta para atacar o espaço. Por fim, na “4”, equilibrada, observa a progressão da ponta esquerda e prepara o passe em profundidade.

Quando o assunto são os gols e as chances criadas, a atacante não decepciona. Considerando todas as competições oficiais disputadas pelo Barcelona em 2022/23, incluindo a Champions League feminina, Geyse soma 18 participações em gols (10 gols e 8 assistências) em 20 jogos.

Na imagem acima, encontra-se descrita uma participação em gol pela brasileira (Aitana Bonmatí x Real Sociedad – Supercopa da Espanha 2023). Geyse faz uso de seu corpo e se coloca à frente da defensora, o que a possibilita receber o passe (“frame 1”). Na sequência, a atacante gira sobre a zagueira e a dribla, se posicionando em vantagem dentro da grande área (“frame 2”). Por fim, na “tela 3”, temos a parte da tomada de decisão. Ela poderia optar pela finalização, mas, ao escanear a entrada da área, nota companheira livre em melhores condições para chutar. O desfecho do lance se deu com a assistência para o gol.

Somado ao que foi exposto, não podemos esquecer da parte defensiva, uma de suas principais características. A brasileira é incansável em campo. Ávida por retomar o controle da bola para sua equipe, Geyse é tormento para qualquer linha de defesa do mundo, dificultando a construção e progressão do jogo oponente. A marcação pressão exercida pela atleta é muito eficiente, se posicionando corretamente para fechar as linhas de passe, bem como utilizando velocidade e força física para vencer duelos.

Por fim, aponta-se o foco para seleção brasileira. Mais madura e cada vez mais experimentada nos enfrentamentos de alto nível em seu clube, Geyse se mostra pronta para ganhar protagonismo no conjunto nacional. Alinhada a isso, Pia Sundhage tem passado confiança para atacante, que se tornou peça-chave do processo de renovação vivido pela equipe. Todas as valências supracitadas encaixam como uma luva no estilo da treinadora sueca, que idealiza agressividade sem a bola com intensidade na pressão; com a bola, eficiência nas transições, focando no ataque dos espaços em profundidade. Além disso, mostra-se disciplinada ao que lhe é pedido, tendo atuado tanto centralizada, quanto em dupla de ataque, bem como aberta pelos lados.

No frame acima, retirado do jogo entre Brasil e Noruega, válido pela Data Fifa de outubro de 2022, Geyse figura como ponta pela direita. A atacante executa função tática pelo corredor, auxiliando a marcação pelos lados, bem como servindo de apoio para dar amplitude e atacar profundidade nas costas da lateral norueguesa.

Em suma, nota-se que Geyse é uma atleta rara no cenário mundial. A brasileira combina inúmeras características positivas com e sem a bola, nas fases ofensivas e defensivas, além do fato de ser versátil, capaz de exercer várias funções. Com apenas 24 anos, a atacante já é um dos principais nomes da posição e tem muito teto para continuar evoluindo (o que é necessário). Visando o próximo estágio, o desafio passa a ser a busca pela maior consistência nas ações ao longo dos 90 minutos.