Notícias Placares ao vivo
Paris Saint Germain

O ano que mudou a vida de Lionel Messi para sempre

15:35 BRT 24/12/2021
lionel messi 2021
Relembre o ano de 2021, em que Messi defendeu Barcelona, PSG e Argentina, e que ficou marcado por mudanças

2021 foi um ano e tanto para Lionel Messi. O craque passou por diversas mudanças, desde deixar o Barcelona depois de mais de 20 anos, se transferir para o Paris Saint-Germain, até ganhar uma Copa América, seu primeiro título de expressão pela seleção argentina.

Mas, se tratando de Messi, também vimos algumas tradições se concretizarem e provarem cada vez mais a grandeza do argentino. Ele foi artilheiro, Bola de Ouro e participou de 61 gols em 61 jogos (43 marcados por ele, e mais 18 assistências aos companheiros). 

Futebol ao vivo ou quando quiser? Clique aqui e teste o DAZN grátis por um mês!

E agora a GOAL te mostra o mês a mês de um ano inesquecível para Lionel Messi.

JANEIRO

O ano de Leo começou no dia 3 de janeiro com uma vitória por  1 a 0 sobre o Huesca, em El Alcoraz. Ele teve um bom mês, marcando seis gols, dando uma assistência direta e três assistências indiretas. Ganhou cinco das seis partidas, embora a que perdeu tenha sido muito importante: o 3 a 2 na final da Copa del Rey para o Athletic Bilbao, quando Leo foi expulso pela primeira vez em suas 753 partidas pelo Barcelona.

FEVEREIRO

16 de fevereiro foi um dia histórico, que sempre será lembrado pelos torcedores - tanto do Barcelona quanto do PSG. Este foi o dia em que Piqué não conseguiu parar Mbappé e o Barcelona perdeu de 4 a 1 para os franceses no jogo de ida das oitavas de final da Liga dos Campeões. Messi? Ele abriu o placar com um gol de pênalti e fez um bom jogo.

No total, neste mês, Messi marcou sete gols, deu duas assistências diretas e mais quatro indiretas. Apesar do mau momento na Champions, a Liga seguia firme.

MARÇO

O confronto com o PSG foi concluído com o resultado esperado: a eliminação. O golaço de Messi ajudou o Barça a sonhar com uma virada no Parc des Princes, e fez o Barcelona ter um um de seus melhores jogos em anos. No entanto, a equipe perdeu muitos gols e não conseguiu chegar perto do placar necessário. A carreira de camisa 10 continuou em modo rolo compressor, marcando cinco gols e dando quatro assistências nos cinco jogos disputados durante o mês.

ABRIL

Tudo começou com uma pesada derrota por 2 a 1 no El Clásico, um golpe claro. No entanto, Messi conseguiu se recuperar com dois gols na final da Copa do Rei , que terminou 4 a 0; depois os culés venceram uma partida importante no Estádio de la Cerámica contra o Villarreal, mas em seguida perderam em casa para Granada, complicando demais suas chances de título, uma vez que deixaram escapar a chance de liderar o torneio e dependerem apenas de si mesmos. Mais uma vez Leo puxou o time, marcando o único gol de sua equipe, terminando o mês com cinco gols, uma assistência direta e uma assistência indireta.

MAIO

Ninguém, nem mesmo Messi, sabia que este seria o último mês do argentino jogando em La Liga, no Barcelona e no Camp Nou. Ele começou marcando duas vezes contra o Valencia, em Mestalla, em uma vitória por 3 a 2, fundamental para as pretensões do clube no campeonato. Mas um empate em casa, por 0 a 0, com o Atlético de Madri os deixou com poucas esperanças de conquistar o título, mas naquela tarde Leo gerou o pouco perigo que o Barcelona apresentou. 

A esperança de um novo título terminou com um empate em 3 a 3 contra o Levante na rodada seguinte, quando Leo abriu o placar com um chute em tesoura e deu uma assistência indireta. Ele encerrou sua participação no campeonato contra o Celta, com um gol de cabeça. O Barcelona, que durante os primeiros meses de 2021 e graças a Messi, teve uma volta por cima que o colocou como favorito para o título, terminou em terceiro lugar.

JUNHO

Em junho Messi só vestiu o uniforme azul e branco da seleção argentina, e estava satisfeito com o time convocado por Lionel Scaloni. O período defendendo seu país começou nas Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2022, com um gol contra o Chile e um bom jogo contra a Colômbia.

Ao todo, foram três gols e duas assistências para ajudar a Argentina a avançar na Copa América. Mas, de qualquer forma, além dos números, Messi mostrou todo o seu talento com a seleção. Por exemplo, nos minutos em que jogou no 1 a 0 contra o Uruguai, ele se mostrou capaz de atuar em toda a extensão do campo, assumindo o controle e decidindo bem de acordo com as demandas do jogo.

JULHO

Ele jogou apenas três jogos durante o mês, mas estes estão entre os mais importantes de sua carreira. O primeiro foi uma vitória por 3 a 0 sobre o Equador nas quartas de final da Copa América: ele marcou um gol e deu duas assistências. Depois, no empate por 1 a 1 com a Colômbia, deu assistência a Lautaro Martinez (e marcou o seu na disputa de pênaltis). Finalmente, ele jogou a final contra o Brasil, na qual a Argentina venceu por 1 a 0, que coroou a Argentina campeã em pleno Maracanã.

Nas redes sociais ele expressou sua felicidade por seu primeiro título oficial na seleção principal: "Quero dedicar este sucesso à minha família que sempre me deu forças para continuar, aos meus amigos que tanto amo, a todas as pessoas que nos apoiam e especialmente aos 45 milhões de argentinos que tiveram tanta dificuldade com este vírus de m*rda, especialmente aqueles que foram mais afetados por ele. Vai para todos vocês e, é claro, também para Diego [Maradona], que certamente nos apoiou de onde quer que ele esteja".

AGOSTO

​​Após 21 anos no clube, Messi decidiu deixar Barcelona. Nas negociações, foi sugerido que o argentino concordou em diminuir substancialmente seu salário, mas com a catástrofe econômica no Campo Nou, eles não conseguiram chegar a um acordo.

Como esperado, seu destino foi o PSG. Com uma calorosa recepção dos torcedores, uma explosão nas redes sociais e muitos sentimentos mistos, ele fez sua estreia oficial em 29 de agosto, na única partida que disputou no mês. Ele entrou por alguns minutos para jogar na vitória por 2 a 0 do time parisiense sobre Reims.

SETEMBRO

Depois de um mês difícil, que teve mais a ver com mudança e adaptação à sua nova realidade, ele voltou ao ritmo das coisas. Começou o mês com a seleção da Argentina, marcando três gols contra a Bolívia e fechou com seu primeiro gol pelo PSG na Liga dos Campeões, na vitória por 2 a 0 sobre o Manchester City. Apesar de ainda faltar um funcionamento coletivo, sua equipe no campeonato nacional estava começando a fazer uma diferença significativa e as primeiras conexões com o Mbappé estavam aparecendo.

OUTUBRO

Apesar de ainda não ter conseguido marcar um gol na Ligue 1, batendo na trave inúmeras vezes, ele continuou representando na Champions League, marcando mais duas vezes na vitória por 3 a 2 sobre o RB Leipzig.

Foi um mês que começou com uma derrota para o Rennes, um empate contra o Paraguai e a primeira vitória, que veio contra o Uruguai. Messi continuou a série contra o Peru, depois Leipzig e terminou com um empate contra o Olympique de Marselha e uma difícil vitória por 2 a 1 sobre o Lille.

NOVEMBRO

Foi um mês de grandes novidades para o craque. Após cinco jogos, Leo pôs um fim ao jejum na Ligue 1, marcando o terceiro na vitória por 3 a 1 sobre o Nantes, e um pouco depois marcou um hat-trick de assistências contra o Saint Etienne.

Quanto ao repertório na seleção nacional, ele conseguiu se classificar para a Copa do Mundo do Qatar 2022, após um empate sem gols contra o Brasil nas Eliminatórias. Este foi um recorde, pois a Argentina, que nunca tinha conseguido se qualificar com tantas rodadas de antecedência.

Como se isso não fosse suficiente, ele ganhou sua sétima Bola de Ouro, frente aos olhos atentos de sua família. Ele agora tem dois troféus de vantagem em relação a Cristiano Ronaldo, que acabou bravo, porque é difícil para qualquer um igualar o recorde de Leo.

DEZEMBRO

O melhor do final do ano foram os dois gols contra o Club Brugge, que o levaram aos cinco marcados em seis jogos na Liga dos Campeões. No Campeonato Francês, o PSG segue irregular, empatou três das quatro partidas e ainda não conseguiu equilibrar o ataque com a defesa. Nesse contexto, Messi faz o que pode, muitas vezes realizando ações dignas de sua qualidade.