Notícias Jogos
Copa do Mundo

Mbappé e Hakimi, França e Marrocos: como nasceu o bromance das duas estrelas do PSG

19:54 BRT 13/12/2022
Achraf Hakimi et Kylian Mbappé célèbrent le but du Français face à Reims, le 29 août 2021.
Desde os primeiros momentos no PSG, os dois jogadores desenvolveram uma amizade especial que foi fortalecida por alguns episódios marcantes

O confronto entre França e Marrocos pela semifinal da Copa do Mundo nesta quarta-feira (14) marcará o encontro de dois companheiros de Paris Saint-Germain: o lateral marroquino Achraf Hakimi e o atacante francês Kylian Mbappé. Mas a relação dos dois vai além do que apenas companheiros de equipe, com uma amizade forte construída desde a chegada do lateral ao clube parisiense.

Entre os dois, tudo começou no final de julho, quando o atacante voltou ao centro de treinamento de Paris no final de julho de 2021, poucas semanas após a eliminação da França na Eurocopa. Desde os primeiros momentos, Mbappé conversa em espanhol com o lateral, que cresceu nos subúrbios de Madrid antes de ser treinado no Real, ajudando na adaptação do marroquino.

Nas semanas seguintes, os dois jogadores se descobriram, ao mesmo tempo em que carregavam o PSG no início da temporada. Dos videogames (Fifa e Mario Kart para Mbappé, além de Call of Duty para Hakimi) à moda, são muitas as paixões em comum que rapidamente levaram a relação dos dois para além do campo. Os dois, que também têm a mesma idade, também compartilham o fato de virem de uma origem social muito modesta.

Em Paris, Mbappé ajuda Hakimi a se integrar

Fora de campo, o ex-interista segue Kylian Mbappé em sua vida pessoal e parisiense e descobre o círculo da estrela. De restaurantes parisienses, em especial o de Marco Verrati, a festas de aniversário, os dois costumam sair juntos. Hakimi entrou rapidamente no séquito dos próximos de Mbappé, e também conheceu Ethan e Wilfried Mbappé, irmão e pai do parisiense e Brice Tchaga, seu melhor amigo, que era seu cabeleireiro desde os tempos de Monaco.

Uma boa forma de integrar o marroquino, que também tem alguns conhecidos que por vezes o levam a desfrutar sozinho das boas discotecas da capital. Muito mais do que o campeão mundial de 2018. Muito rapidamente o relacionamento deles se torna íntimo. Além disso, não tem equivalência no guarda-roupa parisiense. O que certamente explica por que o pistão marroquino foi o único membro da força de trabalho a saber, antes de todos, a decisão do astro de ficar em Paris em maio passado. “ Os companheiros souberam dentro de campo. Eu, como sou amigo dele, soube disso alguns dias antes”, explicou o lateral marroquino que esperou por essa notícia por muito tempo com preocupação.

Nas redes, os dois posam juntos, contam a vida juntos, encenam essa amizade. No clube, é óbvio: chegam muitas vezes juntos ao campo de treino, trocam papo durante o aquecimento antes dos jogos e a comunicação do clube não hesita em destacar a amizade para mostrar que o ambiente entre os jogadores é bom.

Apoio mútuo em situações tensas

Mas nem sempre o ambiente no PSG é bom. Na temporada passada, quando Hakimi se desentendeu com os argentinos Di Maria e Leandro Paredes, Mbappé defendeu o amigo, segundo noticiou o L'Equipe.

No início da temporada, o francês conseguiu o apoio do marroquino enquanto a sua crescente influência no clube pode ter ofendido muitos membros do vestiário. Manteve-se fiel a ele e até permitiu que se aproximasse de Sergio Ramos, com quem conversa regularmente.

E não é por acaso que em seu único dia de folga nesta Copa do Mundo após a classificação contra a Polônia, Mbappé visitou o companheiro na véspera do choque contra a Espanha. Depois das mensagens de parabéns e incentivo nas redes sociais, o segundo encontro acontece nesta quarta-feira. É certo que um dos dois vai sair triste, e que o outro estará ali para confortá-lo.