Notícias Jogos
Athletico PR

Felipão se irrita com críticas após novo tropeço do Athletico no Brasileirão

10:00 BRT 10/10/2022
Felipão Scolari, Corinthians x Athletico, Brasileirão, 08102022
Com apenas uma vitória em seis jogos, o treinador se irritou quando questionado sobre o desempenho da equipe para a final da Libertadores

A entrevista coletiva do técnico do Athletico, Luiz Felipe Scolari, após a derrota por 2 a 1 para o Corinthians, na noite de sábado (8) na Neo Química Arena, durou apenas oito minutos. Felipão respondeu apenas a cinco perguntas e ficou irritado com comparações sobre o desequilíbrio do primeiro tempo, em que o Corinthians fez dois gols, e o segundo tempo, quando o Furacão diminuiu.

Ganhe bônus de até R$ 500 mais uma aposta grátis de R$ 20 na Betsson clicando aqui

Felipão admitiu que tem que corrigir o posicionamento na bola aérea, ao analisar o primeiro gol de Balbuena, aos 5 minutos, que antecipou ao zagueiro Pedro Henrique. Também admitiu que o lance do pênalti, que originou o segundo gol de Roger Guedes, foi marcado corretamente, mas reclamou muito de um pênalti não marcado para o Athletico no final do primeiro tempo.

"Acredito que tenha sido penalidade, como foi do outro lado e os queridos não enxergaram, tá? Mas é assim, vou fazer o quê? O meu lance foi pênalti, do outro lado foi pênalti também. Só que quem está no VAR, está voltando hoje, no campo do Corinthians, estava suspenso... então é uma série de coisinhas que a gente tem que ficar sempre pensando o que pode acontecer no futebol brasileiro", disse Felipão.

"Nós erramos nos dois lances, nós permitimos ao Corinthians a qualidade no primeiro tempo. No segundo tempo acredito que fomos melhores, tivemos o nosso gol, tivemos algumas oportunidades ainda, mas o Corinthians soube se colocar muito bem, venceu a partida."

Mas o auge da irritação de Felipão na entrevista coletiva foi na resposta a um questionamento se o momento ruim do Athletico no Brasileirão, com apenas uma vitória em seis jogos (1 vitória, 3 empates e 2 derrotas), preocupa para o dia 29 (final da Libertadores, contra o Flamengo, em Guayaquil, no Equador).

"Não, preocupa aos analistas, que estão sempre de plantão com suas análises, mas não enxergam que nossa equipe é a 15ª folha do Campeonato Brasileiro, não enxergam que chegamos à final da Libertadores, uma série de coisas. Mas as equipes que também classificaram, como é o caso do Flamengo, ganharam quantos jogos? Fizeram quantos pontos? No ano passado, o Palmeiras fez quantos jogos depois de classificar e fez quantos pontos? Mas isso não é meu serviço. Meu serviço é trabalhar com a equipe. Serviço de vocês é olharem isso aí", disse.

Felipão avisou que já definiu algumas situações e já deu alguma visão do que pretende fazer pro jogo do dia 29. "A minha função é corrigir algumas deficiências que estão acontecendo em lances. Se conseguirmos corrigir, temos boas chances", projetou Felipão.

A bola aérea é um dos problemas. Dos 68 gols sofridos na temporada pelo Athletico, foram 23 de cabeça. Desde a chegada do técnico Felipão, foram 13 gols sofridos em bolas aéreas.

"Estou satisfeito, estou vendo quem piorou, quem melhorou, estou vendo como fazer no dia 29, com os melhores jogadores que me dêem a confiança para enfrentar uma equipe que tem suas múltiplas qualidades e vamos ver se podemos equilibrar", analisou Felipão. Agora, o Athletico tem apenas três jogos pelo Brasileirão antes da final da Libertadores. O clássico contra Coritiba (casa), Bragantino (fora) e Palmeiras (casa).