Notícias Placares ao vivo
Especiais e Opiniões

De capitão a exemplo do que não fazer: Aubameyang vive inferno no Arsenal

13:13 BRT 15/12/2021
Pierre-Emerick Aubameyang Arsenal 2021-22
Os Gunners anunciaram, que o jogador de 32 anos, não será mais o capitão da equipe após violar algumas regras do clube

"Meu treinador!"

Essas foram as duas palavras que Pierre-Emerick Aubameyang postou nas redes sociais, no dia 1 de agosto de 2020, poucas horas depois do Arsenal ter derrotado o Chelsea por 2 a 1, pela Copa da Inglaterra.

Futebol ao vivo ou quando quiser? Clique aqui e teste o DAZN grátis por um mês!

Essas palavras acompanharam uma foto de Aubameyang e Mikel Arteta enquanto seguravam o famoso troféu da competição em Wembley.

Pouco mais de um mês depois, os dois foram fotografados juntos novamente, desta vez na casa de Aubameyang enquanto ele assinava seu novo contrato, que encerrou meses de especulação sobre seu futuro.

Foi um contrato que Aubameyang deu a entender que não poderia ter assinado, não fosse a influência de seu treinador.

"Tive uma conversa com o Mikel", disse o jogador. "Ele foi franco e honesto, e é disso que gosto porque somos sempre honestos."

"Ele disse 'tudo bem, talvez você possa ir embora'. Não sei o que sua mente está (pensando) agora, mas você pode sair e ir buscar troféus em outros clubes, ou pode ficar aqui e deixar um legado.'

"Isso, para mim, era a palavra-chave."

Naquele momento, Aubameyang e Arteta pareciam uma dupla perfeita para o Arsenal. Mas tudo mudou de lá para cá.

Agora, enquanto o Arsenal se prepara para enfrentar o West Ham nesta quarta-feira (15), o jogador que, quase sozinho, se despediu os Gunners há menos de dois anos, foi destituído da capitania e atualmente não está sendo considerado para o time tiular.

É uma queda notável de desempenho, e que decorre de uma série de incidentes que Arteta acredita ter tornado a posição de Aubameyang como capitão insustentável.

O mais recente veio na semana passada, quando Aubameyang voltou para casa tarde de uma viagem ao exterior.

Acredita-se que ele tenha recebido permissão do Arsenal para viajar para ver sua mãe após a derrota contra o Everton na segunda-feira passada, mas que foi explicitamente dito para retornar à Inglaterra na quarta-feira.

Ele não voltou, no entanto, até quinta-feira, e isso teve um efeito indireto nos protocolos contra a Covid-19 do Arsenal - algo que enfureceu Arteta antes do jogo contra o Southampton.

Aubameyang foi mandado para casa e aconselhado a não comparecer na sexta-feira. Ele também foi retirado do time para enfrentar o Southampton, com Arteta dizendo que seu capitão havia sido deixado de fora por causa de uma "violação disciplinar".

Aubameyang foi então chamado para conversar com Arteta nesta segunda-feira, e foi informado, após essas discussões, que sua braçadeira de capitão estava sendo retirada.

Mas a decisão não se resume a esse único incidente, como deixou claro o comunicado divulgado pelo Arsenal. Veja:

"Após sua última violação disciplinar, Pierre-Emerick Aubameyang não será mais o capitão do nosso clube", disse o comunicado.

“Esperamos que todos os nossos jogadores, principalmente o nosso capitão, trabalhem de acordo com as regras e padrões que estabelecemos e concordamos.”

O fato da declaração começar com as palavras "última violação disciplinar" foi impressionante.

E, falando durante sua coletiva de imprensa pré-jogo nesta terça-feira, Arteta estava tão ansioso para apontar que isso não foi devido a um incidente isolado.

“Tomamos essa decisão com base em certos momentos em que ele não cumpriu suas obrigações e é isso”, disse o treinador do Arsenal.

“A decisão que tomamos como clube é muito clara. É porque acreditamos que ele falhou em se comprometer no nível que todos esperamos e concordamos. É tão simples quanto isso."

Esta não foi uma declaração fácil de fazer para Arteta.

“Estou muito triste”, admitiu. “Como treinador, você está tentando ajudar um jogador a se tornar uma pessoa melhor, a se sentir realizado e a se divertir dentro de campo."

“No momento com essa decisão, Auba não vai poder fazer isso. Então, para mim, é apenas tristeza.“

Para Arteta, no entanto, o fato desse último incidente ter acontecido apenas nove meses depois de Aubameyang ter sido punido por chegar atrasado, justamente no clássico de Londres, foi difícil de ignorar.

Ele sentiu que precisava agir, especialmente porque também havia ocorrido outros incidentes, incluindo um no início do ano onde o atacante quebrou os rígidos protocolos de Covid-19 do clube.

Ele espera, no entanto, que os jogadores mais experientes ponham as amizades de lado e entendam por que o clube decidiu seguir esse caminho.

“Eles aceitam a decisão”, disse o treinador dos Gunners quando questionado sobre o impacto que a situação de Aubameyang poderia ter no vestiário.

“Acho que eles sabem, porque se comprometeram com isso, que queremos levar nossa cultura, nossas demandas e como queremos ser como clube a um nível diferente."

“Quando esses padrões não são atendidos, você sabe que não pode participar de nossas atividades básicas diárias.”

O foco agora é quem entrará no vazio deixado por Aubameyang. Se ele permanecerá no clube após a janela de transferências de janeiro ainda não está claro, mas um rápido retorno ao time titular não parece provável.

Isso deixará Arteta com Alexandre Lacazette, como seu único atacante experiente, ao lado dos jovens Gabriel Martinelli, Eddie Nketiah e Folarin Balogun.

O Arsenal não estava planejando entrar no próximo mercado para trazer outro atacante. O plano era esperar até o verão antes de tentar reforçar suas opções de ataque. Resta ver se esse plano agora terá de ser adiantado.

Arteta também tem que decidir quem substituirá Aubameyang como capitão. Um grupo, que reúne jogadores como Lacazette, Granit Xhaka e Rob Holding, vai dividir a braçadeira por enquanto, cenário que deve se manter até o final da temporada.

Mas um sucessor de longo prazo precisa ser encontrado. Dada a relação difícil de Xhaka com os torcedores do Arsenal é quase impossível vê-lo recebendo o aceno de forma permanente.

Muitos acreditam que Kieran Tierney pode ser o jogador ideal, já que o lateral esquerdo marca usou a braçadeira quando estava no Celtic, mas seu histórico de lesões levanta dúvidas sobre a frequência com que ele estaria disponível.

Gabriel Magalhães, por sua vez, está se tornando cada vez mais influente na zaga e vive uma boa temporada.

Mas, embora o zagueiro brasileiro tenha melhorado, ele está longe de ser um líder, o que muitos considerariam uma grande desvantagem para um capitão da Premier League.

Outra opção é Martin Odegaard, que é capitão da Noruega, mas acaba de chegar ao time de forma permanente.

E isso realmente só deixa Lacazette em forma. O atacante francês é atualmente o vice-capitão, mas com seu contrato no final da temporada, ele seria apenas uma opção de curto prazo.

“Não é o momento de (tomar) uma decisão precipitada”, disse Arteta, quando questionado sobre quem poderia ser o próximo capitão.

Dar a si mesmo algum tempo para pensar em um sucessor de longo prazo para Aubameyang parece ser a escolha correta. O jovem técnico do Arsenal fez uma grande aposta. Ele saberá que agora será julgado pelo que acontecerá a seguir.