Notícias Placares ao vivo
Cruzeiro

Cruzeiro prevê R$ 70 milhões de pagamentos em dívidas na Fifa até janeiro de 2022

09:36 BRT 24/11/2021
Cruzeiro escudo
Gestão de Sérgio Santos Rodrigues já pagou R$ 43 milhões em débitos na Fifa desde maio de 2020 e ainda prevê mais R$ 27 milhões de gastos

O Cruzeiro faz as contas para acertar dívidas contraídas por administrações passadas. A diretoria soma o que foi pago durante a gestão de Sérgio Santos Rodrigues e prevê que apenas em disputas da Fifa desembolsará R$ 70 milhões até janeiro de 2022.

Futebol ao vivo ou quando quiser? Clique aqui e teste o DAZN grátis por um mês!

A GOAL apurou que o clube já desembolsou R$ 43 milhões em um ano e meio da atual gestão, somente no mandato do presidente Sérgio Santos Rodrigues, iniciado em maio de 2020. Os valores foram contraídos em administrações anteriores.

Foram pagos débitos pelas contratações de Denílson (Al Wahda, dos Emirados Árabes), Luis Caicedo (Independiente del Valle, do Equador), Willian (FC Zorya, da Ucrânia), Ramón Ábila (Boca Juniors, da Argentina) e Rafael Sóbis (Tigres, do México), além da dívida com Paulo Bento e sua comissão técnica. A diretoria ainda precisa solucionar as questões envolvendo as compras de Arrascaeta (Defensor Sporting, do Uruguai), Riascos (Mazatlán FC, do México) e Rodriguinho (Pyramids, do Egito).

A diretoria ainda trabalha para pagar o restante, cerca de R$ 27 milhões na cotação atual. Os débitos são avaliados em moedas estrangeiras — o euro costuma ser usado para transações internacionais no futebol.

A diretoria tenta evitar novas sanções da Fifa. O clube já perdeu seis pontos na disputa da Série B em 2020 por causa de débitos cobrados na entidade. Posteriormente, recebeu penas de transfer ban (impedimento de registrar novas contratações). Hoje, inclusive, há duas punições que impedem o clube de buscar reforços no mercado da bola.

O valor da dívida do Cruzeiro corresponde ao dobro das folhas salariais de Botafogo e Coritiba — times que já garantiram o acesso à Série A do Campeonato Brasileiro. Ambos desembolsaram cerca de R$ 35 milhões em salários nesta temporada. Isso significa que os clubes gastam cerca de R$ 2,7 milhões por mês, incluindo o 13º salário dos atletas.