Notícias Jogos
Liga dos Campeões da UEFA

Como funciona o sistema semiautomático de impedimento da Champions League

16:04 BRT 03/08/2022
Offside
A tecnologia, que também estará na Copa do Mundo, deve ser mais precisa e mais rápida na hora de analisar os lances

Seguindo os passos da Fifa na Copa do Mundo, a Uefa anunciou, nesta quarta-feira (3), que também vai utilizar uma nova tecnologia que promete agilizar a detecção do impedimento. A entidade máxima do futebol europeu vai usar a ferramenta pela primeira vez na Supercopa da Europa, e depois na fase de grupos da Liga dos Campeões 2022/23.

No início de julho, a Fifa anunciou a implementação de uma nova tecnologia que promete ajudar a arbitragem e agilizar a interpretação de um lance de possível impedimento. O sistema semiautomático, como é chamado, conta com câmeras especializadas, que conseguem monitorar até 29 pontos diferentes do corpo de cada jogador, o que deve diminuir o tempo médio de análise dos lances de 70 para 25 segundos.

Para funcionar, esse sistema depende de um sensor, que fica inserido dentro das bolas do jogo, enviando cerca de 500 dados por segundo, para determinar um ponto de contato exato entre o jogador e a bola. Além disso, uma série de câmeras apoiará a análise, monitorando todos os movimentos do jogo.

Assim, caso um jogador esteja em posição de impedimento, o VAR será alertado imediatamente. Ao mesmo tempo, será gerada uma animação 3D, que será repassada para os estádios e transmissões, mostrando as melhores imagens para a detecção do impedimento.

Além de agilizar o processo, a Fifa e a Uefa acreditam que a ferramenta deve ser mais precisa do que a análise "manual", diminuindo, então, a quantidade de erros de interpretação nas jogadas de impedimento.

"A Uefa está constantemente procurando por novas soluções tecnológicas para melhorar o jogo e apoiar o trabalho dos árbitros. Esse sistema inovador vai permitir às equipes de VAR determinar situações de impedimento rapidamente, com mais precisão, aumentando a fluidez do jogo e a consistência das decisões", disse o chefe de arbitragem da Uefa, Roberto Rosetti, em nota. "O sistema está pronto para ser usado em jogos oficiais e implementado em cada estádio da Champions League".

Agora, seguindo a Fifa, a Uefa vai implementar a tecnologia em suas principais competições. A primeira a receber a ferramenta será a Supercopa da Europa, na próxima quarta-feira (10), entre Real Madrid e Eintracht Frankfurt, e, mais tarde, em todos os jogos da fase de grupos da Champions League. No entanto, segundo a própria entidade, o modelo já foi testado em 188 jogos desde 2020, incluindo todas as disputadas da UCL 2021/22, o mata-mata da Champions feminina e a última Euro feminina.