Notícias Placares ao vivo
Barcelona

Barcelona ainda tem que reduzir gastos com salários e busca se livrar de Coutinho e outros medalhões

14:17 BRT 04/01/2022
Samuel Umtiti Ferran Torres Coutinho
O Barça precisa liberar jogadores, como Umtiti, Coutinho e Dembélé, para conseguir inscrever Ferran Torres

"Quando o contratamos, sabíamos que não tínhamos limite salarial, assumimos a situação", reconheceu Mateu Alemany, diretor de futebol do clube, na apresentação de Ferran Torres.

O diretor de futebol do clube catalão deixou claro que a ideia é inscrever o atacante até o próximo domingo (9), embora tudo dependa de saídas de jogadores.

Futebol ao vivo ou quando quiser? Clique aqui e teste o DAZN grátis por um mês!

Dessa forma, ou os jogadores saem, ou Ferran não atuará em La Liga como jogador do Barça, apesar de ainda precisar se recuperar de uma lesão no pé direito.

O mesmo acontece com as contratações que Xavi Hernández, técnico da equipe, solicitou. Não haverá outras entradas, sem primeiro conseguir liberar jogadores do time. "Fazer mais contratações dependerá das saídas", admitiu o próprio Alemany.

Joan Laporta, presidente do clube, explicou - tal como o seu principal diretor esportivo - que o Barça se antecipou: "Com Ferran abrimos a exceção de assinarmos antes de termos a margem salarial, que necessitamos para o inscrevê-lo."

Além da redução salarial do time principal, o clube quer obter novas receitas, seja com patrocínios, com a melhoria do Camp Nou ou com a venda de ativos, como a produtora audiovisual Barça Studios.

Agora, o Barcelona, com a inscrição de Torres, tem tudo para ultrapassar o fair play financeiro de La Liga, que hoje é de apenas 98 milhões de euros. Ou seja, o Barça só pode gastar 98 milhões entre os salários dos jogadores de futebol, transferências, pagamentos, os bônus e as comissões dos agentes.

Com Torres, suas despesas salariais ultrapassam 430 milhões de euros, isto é, ele viola o fair play de La Liga em mais de 300%. Diante dessa violação do limite salarial, a competição permite a assinatura desde que atendida a regra do 1/4: a cada milhão gasto, quatro devem ser liberados.

Com uma exceção: se o salário liberado for do jogador de futebol que recebe mais de 5% do salário total, a norma passa a ser 1/2. Seria o caso de três jogadores em destaque: Samuel Umtiti, Philippe Coutinho e, após um impasse de renovação, Ousmane Dembélé.

Umtiti rejeitou uma rescisão de contrato no verão passado, mas, o Barça está confiante que conseguirá chegar a um acordo sem ter que pagar o salário que ele ainda precisa receber. Algo semelhante acontece com Coutinho, embora, por enquanto, os dirigentes continuem pensando que ele tem mercado no futebol europeu.

Porém, a grande questão é o salário do brasileiro, que é alto demais para qualquer equipe assumir 100%. Por outro lado, a equipe espanhola está disposta a aceitar um empréstimo, pagando metade do salário.

A questão mais complicada é a de Dembélé. O atacante até disse a Xavi que queria continuar, mas o seu agente pede quantias inviáveis ​​para renovar com o Barcelona no momento. A equipe esperava poder reduzir o custo anual do jogador, estendendo os anos de seu contrato, mas os pedidos de Moussa Sissoko, empresário do jogador, são um grande entrave.

“Eles sabem qual é a situação do clube. Temos sido muito pacientes. Queremos que ele fique, ele tem uma oferta de renovação por muito tempo. Não haverá mais reuniões e não falaremos de hipóteses em uma contraproposta dele e então tomaremos uma decisão", disse Mateu Alemany.

Se não houver alteração, Dembélé deixará o Barça. Ainda assim, o clube não quer esperar que ele saia apenas no dia 30 de junho. Se ele não renovar, Laporta e Alemany têm certeza de que o francês precisa sair nesta janela.

Com isso, ou o Barça faça esta combinação de fatores, ou enfrentará não só a possibilidade de não contratar - seja Morata ou qualquer outro -, ou contar com seu presente mais recente, Ferran Torres.

O clube tem que continuar fazendo o dever de casa. Desta vez, até o último minuto, como nos velhos tempos.