Atlético-MG blinda elenco e só topa venda por "proposta irrecusável"

Zaracho, Athetico-PR x Atlético-MG, Brasileirão, 17042022
Pedro Souza/Atlético-MG
Clube quer manter elenco para tentar o segundo título da Libertadores. Saída de Zaracho só acontecerá com valor irrecusável

A diretoria do Atlético-MG blinda o elenco em relação ao assédio do exterior. A cúpula não pretende negociar jogadores nesta janela de transferências, conforme apurado pela GOAL. A única exceção é em caso de proposta considerada irrecusável.

O Galo se sente confortável para recusar propostas baixas no mercado da bola, porque já alcançou 92,85% da meta para vendas estabelecida em seu orçamento. O clube deseja receber R$ 140 milhões em negociações de jogadores durante a temporada.

Futebol ao vivo ou quando quiser? Clique aqui e teste o DAZN grátis por um mês!

A cúpula atleticana sonha em conquistar a Libertadores pela segunda vez e, internamente, acredita que pode figurar entre os dois melhores elencos do Brasil com a chegada dos quatro novos reforços — o zagueiro Jemerson e os atacantes Pedrinho, Pavón e Alan Kardec.

Mais artigos abaixo

A diretoria do Galo imagina que, neste momento, é possível segurar o plantel comandado por Turco Mohamed e articular vendas de jogadores somente em dezembro deste ano.

Uma possível saída de Matías Zaracho, que foi ventilada nas últimas horas, só aconteceria em caso de proposta irrecusável. O clube não fala em valores, mas diz que só aceitaria uma venda nos moldes da saída de Bernard, negociado por 25 milhões de euros para o Shakhtar Donetsk, da Ucrânia, em 2013, logo após o título da Libertadores.

O argentino de 24 anos tem contrato com o clube até outubro de 2025 e foi adquirido por 5 milhões de euros, em outubro de 2020. Ao lado do jovem Rubens, é tratado como um dos grandes ativos do elenco alvinegro.

O Dínamo Moscou sonha com a contratação de Rubens, meio-campista de 21 anos. Contudo, nem sequer apresentou proposta. O clube estaria disposto a enviar uma oferta avaliada entre 5,5 milhões de euros e 6 milhões de euros. O valor seria livre de impostos e por 85% dos direitos econômicos do atleta, fatia que pertence ao Atlético-MG.

Fechar